Quanto custa três dias em Amsterdã? – Nosso primeiro mochilão

Quanto custa três dias em Amsterdã?

Como terminei contando no texto de Londres, nós estávamos muito felizes porque tínhamos conseguido economizar bastante, porém foi em Amsterdam que o nosso mundo caiu, como dizia Maysa.

Logo que chegávamos em alguma cidade, a gente ia pra algum canto fazer nossas contas. E em um café para crianças (SIM, enquanto os pais tomam um café as crianças ficam lá brincando. Lugar incrível aquele) perto do nosso hostel percebemos a burrada que tínhamos feito. Como contei no post do Mochilão a gente esqueceu de somar uma das cidades na nossa planilha, ou seja, estávamos com 200 euros a menos!!! Como chorei.

Mas não tinha o que fazer além de SEGURAR AO MÁXIMO nossos gastos, coisa que a gente já tava fazendo bem.

Enfim né, estávamos em Amsterdam, alguma hora eu ia ter que parar de chorar.

TRANSPORTE

Em Amsterdam existe a GVB, GemeenteverVoerBedrijf, ou simplificando Companhia Municipal de Transportes (mais fácil). Esse é um cartão descartável que funciona pra TODOS os transportes da cidade, desde ônibus até a balsa e você compra de acordo com o tempo que vai ficar lá, tem desde 24 até 168 horas. Nós compramos o de 72 horas que duraria certinho os nosso três dias lá e custou €16,50 pra cada um.

Existem outras opções de transporte na cidade, mas acredito que essa seja a melhor e mais barata pra você que vai ficar até uma semana por lá.

HOSPEDAGEM

Esse hostel foi a nossa maior decepção, quando chegamos lá ele estava em reforma, ou seja, todo empoeirado (temos rinite, os dois), não estavam servindo café da manhã e como eu estava muito triste resolvi trocar nosso quarto compartilhado por um privado (ao invés de economizar, gastei mais porque estávamos merecendo). COMO SE NÃO BASTASSE, estava tendo uma obra BEM NA NOSSA JANELA, os caras ficavam lá o dia todo, saiam à noite e às 8 horas da manhã eles já estavam lá de novo!

Enfim, acredito que o Hostel Cosmos já deva estar reformado e funcionando normalmente. Tínhamos calculado €20,80 pra cada um na hospedagem, mas esse valor acabou subindo pra €50! (muita coisa!!!) Pelo menos tínhamos um banheiro só nosso.

ALIMENTAÇÃO

Nossa base para alimentação estava em €50 pra cada um e nossa referencia foi o Hema e o Toscana que também nem chegamos a passar na frente. Mais uma cidade em que vivemos de pizza de muçarela e KFC que sem dúvidas é o melhor de toda a Europa.

Mas como dissemos no texto de Paris, muita coisa não podemos deixar de experimentar e em Amsterdam não tinha como eu ficar um dia sem comer waffle com chocolate. Mesmo assim, os gastos com alimentação foram baixíssimos, a gente gastava menos de €10 por refeição os dois juntos!

ATRAÇÕES

Nem gosto de lembrar que devido ao nosso corte de gastos o Museu da Anne Frank ficou de fora.  Tínhamos lido em um blog que a entrada era gratuita, mas chegando lá tinha que pagar €9. Por isso informações sobre museus é importante conferir no site próprio deles, pra não ter erro quanto ao valor e horário de funcionamento.

Fora isso, também não visitamos o Hash museum e nem a fábrica da Heineken, pelo dinheiro mesmo. Mas visitamos o Vondelpark, o Jordaan, Leidsplain, Museumplain onde fica o letreiro I AMSTERDAM, o museu do sexo e o Red Light District, o famoso Bairro da Luz Vermelha onde fizemos  um Pub Crawl por €20, passando por vários bares. Super vale a pena pra quem quer conhecer a vida noturna da cidade QUE É MEIO OBRIGATÓRIO NÉ.

Como tínhamos um tempo livre – já que não fomos na Casa da Anne Frank – resolvemos andar de balsa, já que era de graça. Quando chegamos no norte de Amsterdam descobrimos um baita museu gratuito, o EYE, um institudo de cinema da cidade. Nós como estudantes de Rádio e TV ficamos muito, muito, muito felizes com a descoberta.

EXTRAS

Não tivemos gastos extras além da troca de quarto no hostel. Claro que compramos coisas pela cidade, lembrancinhas, doces, drogas (brincadeira [ou não]) e enfim, coisas que a gente acaba gastando mesmo e não tem jeito.

Nossa previsão de gastos para três dias em Amsterdam era de €135,30 ou €165,30 contando com o quarto privado, mas fechamos com incríveis €132,26!!! Abaixo até do gasto inicial.

E vocês se perguntam: COMO? Isso se deu principalmente pela economia na alimentação e das atrações que abrimos mão.

Quando vi esse resultado me arrependi demais de não ter ido na Casa da Anne Frank e jurei que voltaria lá só pra isso. Agora vou ter que voltar né, que triste.

Mas é isso, mais uma cidade que passou e mais uma experiência maravilhosa que acumulamos. Amsterdam é a queridinha dos jovens, mas ela é pra todos! Ela agrada a todas as idades e tribos. Com certeza uma das melhores, mais bonitas e organizadas cidades que visitei durante o mochilão.

Destino Compartilhado| Por: Carolina Rosa


Nosso último destino foi: Londres.

Nosso próximo destino será: Berlim.

Comentários

Deixe uma resposta