PERRENGUE #5 – Sem avião em Vitória

Hoje vou fazer uma coisa diferente dos outros perrengues, vou começar com a lição aprendida: Imprevistos acontecem e muitas vezes você não pode fazer nada. É preciso se precaver, tomar todos os cuidados necessários e tentar não ser pego por nenhum imprevisto. Mas às vezes as coisas não dependem de você e é sobre isso a minha história de hoje.

Em maio de 2015 fizemos uma viagem para Vitória (ES), chegamos na sexta-feira de manhã e o plano era voltar para São Paulo no domingo também pela manhã. Porém, o que a gente não tinha ideia, era que no domingo ia fazer um tempo feio, muito feio mesmo, o que impediu que qualquer avião saísse daquele aeroporto.

Leia também: PERRENGUE #1 – Paris a pé

De início não gostamos, claro, pois queríamos voltar cedo pra casa, mas não tínhamos nem ideia da notícia que iriamos receber: Nenhum avião iria decolar naquele dia e só poderíamos voar no dia seguinte. Além de chuva e um aeroporto lotado de gente irritada, muita gente iria ter que faltar no trabalho, faculdade e outros compromissos.

Vale ressaltar aqui que isso não é um problema do Brasil. Sim, é claro que falta organização nos nossos aeroportos (e muita), mas, como eu disse no início desse texto, tem vezes que a gente não pode fazer nada, era só um dia de muita chuva e sem condições de voar.

Leia também: PERRENGUE #2 – Sozinho em Londres

Continuando a história, ganhamos vouchers para alimentação e também para hotéis, mas como tínhamos esperança e precisávamos muito chegar em São Paulo ainda no domingo, resolvemos ficar pra ver se não tinha jeito mesmo.

E teve, depois de muitas horas esperando, conseguimos um voo para o Rio de Janeiro e de lá conseguiríamos pegar um para São Paulo. Gastamos quase o dobro de tempo, mas finalmente, no domingo à noite estávamos no aeroporto de  Congonhas, um pouco estressados mas aliviados por termos conseguido.

Não vou terminar o texto com a lição aprendida, pois foi assim que comecei. Esse perrengue serviu pra nos mostrar que às vezes mesmo com precauções, os perrengues vêm e o que nos resta é contar histórias.

Destino Compartilhado | por: Tom Freitas


Leia também:

5 passeios para fazer em São Paulo gastando pouco

Viajar faz bem

Quanto custa mochilar pela Europa? – Nosso primeiro mochilão


 

Comentários

Deixe uma resposta