PERRENGUE #1 | Paris a pé

Quando a gente diz que planejamento é tudo, é porque é TUDO mesmo!

Essa é a história do nosso perrengue em Paris.

Quando estávamos mochilando pela Europa tentamos fazer o maior número de cálculos e planilhas do excel e pesquisas e todas essas coisas necessárias pra programar uma viagem desse tipo. O problema é que na prática tudo é BEM diferente.

Quando chegamos em Paris os bilhetes de metrô/trem que íamos comprar e duraria certinho os 3 dias não estavam mais disponíveis e não havia nenhuma outra opção mais barata. Ou seja, compramos o suficiente pra chegar no hostel e depois voltar embora.

Leia também: Quanto custa três dias em Paris?

E é aí que a gente começa a aprender a lidar com os perrengues. Tivemos que fazer vários trajetos A PÉ pela cidade! Andamos da Catedral de Notre-Dame até a Torre Eiffel, como vocês podem ver no mapinha aí É UMA BOA CAMINHADA (pra um frio perto de 0°C).

mapa paris

Mas fomos pelo Rio Sena, vendo toda a cidade, as pessoas saindo do trabalho, o trânsito, as embarcações com restaurante, e percebendo o quanto o Louvre era grande e tendo a certeza de que as 4 horas que passamos lá dentro não foram suficientes. (aliás, vou falar sobre o Louvre em outro post)

A verdade é que, falando assim, parece que foi incrível, mas a gente só da valor e percebe essas coisinhas depois, porque na hora eu queria morrer. De frio, de fome, cansaço e raiva de não ter mais dinheiro pra pegar a droga do metrô!

em paris

A outra verdade é que: Planejamento é tudo e por mais que você acredite que vai ser tudo perfeito e nada vai dar errado… VOCÊ TÁ ERRADO. Sempre vai ter uma coisinha que vai sair fora do lugar e você vai ter que lidar com ela de alguma forma e que seja de um jeito prazeroso, né?

Leia também: Diário dos mãos de vaca #1 – Planejando uma viagem

Andamos do hostel, que ficava próximo a estação Anvers do metrô, até o Moulin Rouge, do hostel até a Galeries Lafayette, e no meio de todos esses percursos vimos cada lugarzinho incrível em Paris! Crianças saindo da escola, lojas de instrumento baratíssimas, restaurantes brazucas… Não deixamos de fazer nada por não ter como nos transportar de metrô, apenas fizemos tudo a pé.

paris-2_fotor

Então planeje-se e tenha em mente que: VAI TER COISA ERRADA em alguma hora. (pelo menos com planejamento pode ser só uma coisinha de nada, né).

Destino Compartilhado | por: Carolina Rosa


Leia também:

Diário dos mãos de vaca #4 – E se o dinheiro acabar durante a viagem?

Trem, avião ou ônibus na Europa

O que é Destino Compartilhado?


 

Comentários

Deixe uma resposta